Março de 2006 - Janeiro de 2009

16
Jan 08

                                      A minha avó, que Deus tem, era muito religiosa. Ouvia regularmente, ao final da tarde, o terço na rádio Renascença. Não sei se foi isso que a matou, mas aposto que deve ter contribuído.
Felizmente eu não tinha o infortúnio de passar por tal tortura pois à hora em que o programa ia para o ar já a minha mãe me tinha vindo buscar. Mas lá havia um dia ou outro em que, enquanto aguardava, lá gramava com aquilo. Em barulho de fundo, graças a Deus. É que a minha avó tinha o bom senso de ir para a marquise com a telefonia enquanto eu ficava na sala a mamar a Alice No País Das Maravilhas. A mamar salvo seja, que a Alice para além de ser um desenho animado é menor de idade.
O terço na rádio soava-me a um relato de futebol, desprovido de qualquer espécie de emoção e ditado num tom monocórdico. Tipo Estrela da Amadora – Naval para a Taça da Liga. Tirando o facto de os intervenientes não se chamarem Emerson e Dorivalto , nunca notei grandes diferenças. E o pior é que havia jogo, todos os dias, à mesma hora, com os mesmos lances, da mesma maneira e da mesma forma.
E do que é que consistia aquela lenga-lenga ? Já nem me lembro, mas só podia ser algo importante. É que algo que dê em todo o santíssimo dia ou é fundamental para a vida das pessoas ou é “As Tardes Da Júlia”. É que um espaço privilegiado daqueles ao menos que incluísse a meio informações úteis. Como as farmácias de serviço ou a chave do Euromilhões. Quem diz isto, diz a metrologia. Reduzia-se para metade o número de ave-marias e pais-nossos, encaixava-se as mínimas e máximas de norte a sul e o estado do mar, e ninguém saia prejudicado
Uma grande questão é onde será gravado o programa? De algum sítio aquilo tem de vir. Não brota da terra. Já vi plantações de muita coisa, mas de emissões radiofónicas é que não. Será emitido da paróquia de Cucujães através de um telemóvel, ou será um elaborado trabalho de estúdio com locutores experientes e complexos efeitos sonoros?
Será em directo? Será uma gravação? Bem que podia ser, não me parece que hajam grandes alterações na estrutura da oração de um dia para o outro. O terço de quarta-feira não deve ser muito diferente do de quinta-feira, penso eu. Provavelmente estamos a ouvir todos os dias uma gravação de 1961 e ninguém dá por isso.
E quem são as pessoas que fazem a locução do terço? A quem cabe aquela árdua tarefa? Não é qualquer um que o faz. Só alguém profundamente aborrecido e entediante terá capacidade técnica para debitar toda aquela informação daquela maneira.
São muitas as questões e muito poucas as respostas. Mas não pensem que tenho algo contra a religião e a sua respectiva prática. Acho é que àquela hora mais vale ouvir a “Prova Oral” na Antena 3 ou o Pedro Ramos na Radar. É sempre diferente e ao menos vamos jantar com uma vibração mais positiva. Mas se querem ouvir o terço quem sou eu para vos impedir?

publicado por Velho Jarreta às 01:01

Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
17
18
19

20
21
22
24
25
26

27
28
29
31


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO