Março de 2006 - Janeiro de 2009

16
Abr 08
E se aquilo que sempre procuras-te estivesse mesmo à tua frente? E se neste preciso momento em que estás a ler, estivesses a olhar, olhos nos olhos, para o que (ou para quem) realmente buscas? Algo que, apesar de ser tão evidente, tu nunca tenhas reparado. Sim, estou a falar contigo. Contigo em particular, não estou a escrever para mais ninguém a não ser para ti. Tens resposta para o que te estou a perguntar? Já alguma vez encaras-te essa possibilidade?
Sabes, ao longo da vida apercebemo-nos que muitas das coisas em que acreditávamos não passam de ilusões. Utopias que criámos para justificar a nossa existência diária e dar sentido a tudo isto. Começamos por crer que os bebés vêm em correio expresso, suspensos em cegonhas, directamente de Paris e acabamos a achar que todos os males do mundo são da juventude. Pelo meio acreditamos também em coisas tão verosímeis como o Pai Natal ou que existe uma cura para a ressaca.
O pior de tudo isto é que ficamos com a visão turva. Fazemos planos tão rocambolescos e ideias tão afastadas da realidade que acabamos completamente desnorteados. Sem nos apercebermos que a resposta é bem mais simples e está mesmo diante dos nossos olhos.
Todos procuramos a “tal” pessoa. Este “tal” deve ser a mais subjectiva de todas as definições. Cada pessoa tem a sua ideia muito própria e busca-a incessantemente. Mesmo que nunca o admita. A pessoa perfeita. Ou melhor, a pessoa perfeita para nós.
Mas há uma coisa que é fundamental para se poder atingir este objectivo. É estar disposto a amar. Só assim se pode ter a hipótese de ser verdadeiramente feliz. Se acreditarmos que podemos compensar todo o tempo perdido temos muito mais a ganhar do aquilo que possamos sonhar.
Já percebes-te que eu estou a falar contigo e só contigo? Claro que sim, senão não estarias com esse nervoso miudinho. Como quem acelera um automóvel e fica encostado ao banco. Por um lado há receio. Por outro, a adrenalina apodera-se de nós e percorre todo o nosso corpo, inflamando a alma levando-nos a querer mais. É contraditório e confuso mas é assim que é o amor.
Olha para mim com outros olhos, bem mais profundo do que alguma vez olhas-te. Vais ver que estou mesmo ao teu lado, a ver o mesmo que tu. Com os mesmos receios e desejos. Com o mesmo ar de surpresa e de inquietação. E com a certeza absoluta de que farei tudo para não te perder. Pois tu és perfeita. Perfeita para mim.
publicado por Velho Jarreta às 00:43

6 comentários:
porque é que as pessoas continuam a pensar que só porque amam são donas dos outros?
começo a ficar cansada de ouvir amor para aqui e para ali, e ler amor aqui e acolá...
o amor é um sentimento puro, tudo o resto traz complicações.
boa noite

não há ninguém perfeito
canoa a 16 de Abril de 2008 às 00:58

Olá!Só quero saber uma coisa:foste atingido pela seta do cupido ou quê?
Patitas a 18 de Abril de 2008 às 14:16

Foi mais tiro de Caçadeira !
Se realmente encontraste o que queres e estás disposto a amar e não abdicares disso, atira-te de cabeça que a malta está para te amparar se for preciso !
Para mim, a mais perfeita e pura forma de amor é a amizade...
Piri a 18 de Abril de 2008 às 14:24

Velhote. .não sei nem quero saber se este post é dedicado a alguém directamente. . .também não sei se há alguem perfeito ou se existe um cupido. . .a perfeição depende de cada um . . .a compatibilidade depende de cada dois. . .dar um passo depende de uma pessoa,seguir em frente depende de duas. . .portanto. . .lutar é a única coisa que resta a uma pessoa, lutar por aquilo que queres,lutar por aquilo que sonhas,lutar por aquilo que pretendes,lutar para que o mundo mude. . .um Abraço!
Hugo Nascimento a 19 de Abril de 2008 às 19:16

Só quero dar nota máxima para este texto, simplesmente FABULÁSTICO.
Márcia a 4 de Junho de 2008 às 15:45

Está espectacular amigo...fiquei sem palavras :)
Nélia a 5 de Junho de 2008 às 00:15

Abril 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
17
18
19

20
21
22
24
25
26

27
28
29


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO