Março de 2006 - Janeiro de 2009

07
Nov 06

Não, não vos estou a falar da banda de Hard Rock dos anos 80 que tocavam com Black &Decker's para os solos sairem à velocidade da luz. Muito menos do filme protagonizado por Tom Hanks que já deve ter a fita gasta de tantas vezes que foi exibido nas tardes de domingo. Quando vos falo em Mr Big  estou-me a referir à personagem de "Sexo E A Cidade". O eterno amor da personagem principal, interpertada por Sarah Jessica Parker.

Acho esta série fabulosa e apesar de já ter visto todos os episódios, sempre que volta a repetir, como acontece agora na Sic, vejo sempre, apesar do horário impróprio a que passa. Claro que passa naquela hora, como seria possivel fazer uma grelha televisiva sem oito telenovelas a seguir ao jantar?

Todos nós conhecemos alguem com as carateristicas daquelas quatro mulheres (Nota: se não conheces devias sair mais de casa, ou pelo menos conviver com novas pessoas). Desde a ninfómaniaca (Samantha Jones) até à ultra romantica e edialista (Charlotte York), passando pela racional (Miranda Hobbes) e a descontraida (Carrie Bradshaw). Todas elas representam algo que quase que podemos estéreotipar. Mas como classificamos Mr Big?

É nesta questão que mais se nota a diferença entre homens e mulheres. Do ponto vista feminino, escutando Carrie Bradshaw e a opinião de várias mulheres , Mr Big é altamente complexo, difícil de conhecer, não dado a compromissos, de pouca confiança, basicamente um cabrão. Por outro lado é um sedutor nato, rico, vai à missa com a mãe, é atencioso, e é o amigo e amante que qualquer mulher procura. É contraditório e confuso na sua essência.

Do ponto vista masculino ele é pura e simplesmente um gajo fixe que tem muita guita. Os homens entendem o que eu quero dizer, mas vocês minhas senhoras estão baralhadas não estão? Tenham calma que eu explico. Isto tem uma resposta simples quer queiram quer não. Não é Mr Big que é complexo, o que é complexo é o vosso ponto de vista. As mulheres são complicadas e os homens são básicos. Para nós as coisas são muito pão pão queijo queijo, a nossa realidade é concreta, palpável e os nossos sonhos também. É acima de tudo simples, simples e difícil . Para as mulheres a dificuldade mantém-se mas o mundo torna-se muito mais complexo. Vemos a realidade sob diferentes ângulos e isso sempre se irá manter. Não há melhor nem há pior, há o que há e é isto com que temos de viver.

Na série televisiva eles acabam juntos e felizes para sempre (pois tá claro). Na realidade ninguém vive feliz para sempre mas se um lado simplificar e outro complicar podemos de certeza fazer algo mágico.

publicado por Velho Jarreta às 13:34

Novembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
29
30


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Nº de pessoas presentes
Nº de leitores
free hit counter
hit counter
blogs SAPO