Março de 2006 - Janeiro de 2009

01
Out 08

Quando me perguntam qual a minha música favorita o meu primeiro pensamento é sempre o mesmo. Começo imediatamente a ouvir uma simples melodia composta apenas de um piano e de uma voz plena de honestidade. Dou por mim a visualizar estrofes num folheto de cd, muito simples mas muito profundo. E chegam-me à memória memórias de tudo o que vivi.  

No momento da resposta lá acabo por repetir o que já tantas vezes disse e, com a incerteza que a subjectividade da questão nos coloca, digo: “A Gente Vai Continuar” do Jorge Palma.

Uma das muitas coisa que esta música tem de especial é a sua intemporalidade. Fará sentido agora e sempre. A melodia é fabulosa, leva-nos para um espaço onde o tempo não conta e que nos permite elevar a nossa mente para terrenos habitualmente pouco caminhados.

Mas o mais fascinante de tudo foi sempre aquela letra. Faz-me sempre recordar aquilo que a vida é e como tem de ser vivida. Que tudo se resolve e que tudo se irá resolver, aproveita mas é o momento que isto é só uma viagem e podes muda-la sempre que quiseres. Foca-te naquilo que é importante para ti e naquilo que te faz feliz e tudo seguirá o seu caminho.

Mas para quê lerem-me a mim quando podemos ouvir e ler tudo isto pelas palavras do autor. Minhas senhoras e meus senhores, Jorge Palma com “A Gente Vai Continuar”.

 

 

 

Tira a mão do queixo não penses mais nisso
O que lá vai já deu o que tinha a dar
Quem ganhou ganhou e usou-se disso
Quem perdeu há-de ter mais cartas pra dar
E enquanto alguns fazem figura
Outros sucumbem á batota
Chega a onde tu quiseres
Mas goza bem a tua rota

Enquanto houver estrada pra andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada pra andar
Enquanto houver ventos e mar
A gente não vai parar
Enquanto houver ventos e mar

Todos nós pagamos por tudo o que usamos
O sistema é antigo e não poupa ninguém
Somos todos escravos do que precisamos
Reduz as necessidades se queres passar bem
Que a dependência é uma besta
Que dá cabo do desejo
A liberdade é uma maluca
Que sabe quanto vale um beijo

 

publicado por Velho Jarreta às 19:17

2 comentários:
Boa noite, descobri o teu blogue há pouco tempo nos links do João Pedro Santarém e devo dizer que fiquei fascinada pelo tom mordaz, humorístico e terra-a-terra dos teus posts. Não lhe falta nada, não senhor....até a escrita cativa :-)
Hoje, em especial, agradeço-te por esta música do Jorge Palma. É simplesmente genial e de uma verdade inabalável...
Beijinhos, até breve
Sylvie
Anónimo a 2 de Outubro de 2008 às 23:28

Muito obrigado pelos teus elogios. É isso que me dá vontade de continuar. Se não tivesse o apreço das pessoas nada disto faria sentido. É o sentir que estou a comunicar e que não estou para aqui a falar sozinho que me faz escrever.
Bjs
Velho Jarreta a 3 de Outubro de 2008 às 18:13

Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
17
18

19
22
24
25

27
28
29


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Nº de pessoas presentes
Nº de leitores
free hit counter
hit counter
blogs SAPO