Março de 2006 - Janeiro de 2009

10
Ago 08

"Se as portas da percepção estivessem limpas, tudo apareceria para o homem tal como é: infinito."

William Blake

 

Todos nós, num momento ou outro da nossa vida, nos interrogámos sobre o mundo à nossa volta. As perguntas são mais que muitas e as respostas são sempre escassas e inconclusivas. Um pouco como ir às Finanças para nos informarmos do que quer que seja.

O descobrir da verdade, a resposta para todas as coisas e o brinquedo dentro do ovo Kinder não são mais que interrogações permanentes da humanidade. Mas como já deu para ver à muito, têm tanto resultado como a busca do Santo Graal. E porquê? Porque não existem. Nem um cálice imaginário nem uma verdade válida e universal.
Podemos passar o resto da vida à procura de algo, a esburacar tudo e mais alguma coisa (O que por vezes não é nada mau. Há coisas por aí muito interessantes para esburacar. Outras nem tanto, mas cada um esburaca aquilo que pode.) Mas obras públicas e construção civil à parte o que importa ver é que parece sempre que não se chega a lado nenhum. Mas será que não se chega mesmo?
Desde miúdo que sempre me fascinaram as viagens de carro à noite. A tranquilidade e a ausência de paisagem. Isto claro se não estiverem a voltar a um domingo para Lisboa num fim-de-semana destes. Nesse caso não há descanso nenhum, apesar se seguir a uma velocidade média de 25 km por hora. Só se vêem é carros e mais carros e luzes e mais luzes, ali a encadear-nos os olhos.
Mas supondo que se está a navegar num mar de tranquilidade, houve um pormenor que sempre me saltou à vista. O facto de tu poderes fazer a mais longa das viagens mesmo só vendo uns míseros metros à tua frente. Podem-se percorrer centenas de quilómetros e a única coisa que se vê é o pouco da estrada que os faróis conseguem iluminar.
A vida também é assim. Apesar das placas que passam ao longo da estrada a indicar-nos as mais variadas direcções e informações, no fundo vamos às cegas, sabendo pouco até avistarmos o lugar. E por muitos avisos que hajam nunca se sabe mesmo até lá estar e nunca se sabe quem se encontrará a meio da noite.
Façam Boa Viagem.
publicado por Velho Jarreta às 14:59

Agosto 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
29
30

31


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Nº de pessoas presentes
Nº de leitores
free hit counter
hit counter
blogs SAPO